Tel.: (11) 5081.4936 / 5082.3913 - WhatsApp: (11) 94086.1112
Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 270
(próx. ao metrô Ana Rosa)
Vila Mariana - CEP: 04014-000 - São Paulo - SP
vacina_febre_amarela.jpg

Fonte: Redação - Minha Vida

O período de maior risco da doença é de dezembro a março

O início do verão é considerado o período de maior risco de transmissão da febre amarela. Por isso, a população que vive em locais de risco devem buscar a vacinação o quanto antes.

O Ministério da Saúde está fazendo esse alerta porque áreas recém-afetadas pela doença e com grande contingente populacional, como as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, ainda têm um quantitativo alto de pessoas que não foram vacinadas contra a febre amarela e correm, portanto, maior risco de serem infectadas.

Em 2017, quando ocorreu um surto de febre amarela, a vacinação foi ampliada para 4.469 municípios. Isso ocorreu devido a inclusão de 940 cidades localizadas próximas das capitais e áreas metropolitanas das regiões Sudeste e Sul do país, onde houve evidência da circulação viral. A cobertura vacinal deve ser de, no mínimo, 95% da população.

No Calendário Nacional de Vacinação, a vacina contra febre amarela é ofertada e distribuída aos estados todos os meses, sendo que neste ano já foram enviados para todo o país 30 milhões de doses da vacina contra a doença. Entretanto, a vacinação é pouco procurada pela população. As pessoas devem tomar a dose pelo menos 10 dias antes de irem para as áreas de risco.

Continue lendo

estudante_vacinacao_usa.jpg

Fonte: Mônica Nobrega - O Estado de São Paulo

Para se matricular nos programas de intercâmbio do país, jovens precisam provar que foram imunizados

Em tempos de disseminação de informações falsas, recusa às vacinas e volta de incidência de doenças como sarampo, no Brasil e em vários outros países, uma notícia pode ajudar a convencer famílias da importância da imunização: adolescentes brasileiros que não receberam todas as doses na infância são obrigados a atualizar a carteira de vacinação para fazer intercâmbio nos Estados Unidos. O país da América do Norte exige que as doses estejam em dia para emitir o visto de estudante

Na semana passada, dia 14, o Brasil encerrou mais uma campanha nacional de vacinação contra sarampo e poliomielite depois de o Ministério da Saúde ter prorrogado o período de imunização para tentar reverter a baixa adesão às vacinas. Depois de duas semanas extras, o País atingiu a meta de 95% de crianças de 1 a 5 anos vacinadas. 

“As escolas nos Estados Unidos exigem dos estudantes estrangeiros várias vacinas específicas”, disse a coordenadora de produtos da CI Intercâmbio e Viagem, Bruna Siqueira. Sem a comprovação de que o aluno tomou todas as doses, o formulário de solicitação do visto não é encaminhado ao consulado.

Continue lendo

febre_amarela_sudeste.jpg

Fonte: Paulo Henrique Lobato - R7

Artigo assinado por pesquisadores da Fiocruz concluíram que vetor chegou à região mais de um ano antes do surto

A comunidade científica alerta: embora endêmico da bacia Amazônica, o vírus da febre amarela encontrou ambiente favorável no Sudeste do Brasil. Um estudo ao qual o R7 e a RecordTV tiveram acesso concluiu que o vírus que só em Minas Gerais matou 339 pessoas, nos surtos de 2017 e 2018, não veio diretamente da bacia Amazônica, como cogitado anteriormente, e tampouco chegou ao Estado na época das epidemias.

Pelo contrário: o vírus entrou em Minas Gerais há quase um ano do início das mortes. A hipótese é que teria entrado no Sudeste por meio do Centro-Oeste brasileiro. As conclusões estão no artigo "Persistência do vírus da febre amarela fora da bacia Amazônica, causando epidemais no Sudeste do Brasil, de 2016 a 2018", assinado por pesquisadores como o virologista Pedro Augusto Alves, da Fiocruz.

Continue lendo

vacina_gripe_2.jpg

Fonte: Richard Klasco - The N. Y. Times

Doses de reforço podem tornar a vacina contra a gripe mais eficaz, mas o benefício é limitado a alguns grupos específicos

P: Duas vacinas contra a gripe me protegem melhor que uma?

R: As doses de reforço podem tornar a vacina contra a gripe mais eficaz, mas o benefício é limitado a alguns grupos específicos.

As crianças são um grupo que pode se beneficiar do recebimento de duas doses da vacina contra influenza durante a mesma temporada de gripe. Em um estudo multiestado, o aumento da eficácia da vacina aumentou em quase duas vezes em crianças de 6 meses a 8 anos de idade. O benefício foi maior entre os bebês que receberam a primeira vacina contra influenza e ainda era evidente nas temporadas de gripe subseqüentes. Outros estudos produziram resultados semelhantes.

Por causa disso, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças recomendam que “crianças de 6 meses a 8 anos sendo vacinadas pela primeira vez, e aquelas que receberam apenas uma dose de vacina, devem receber duas doses de vacina nesta temporada”.

A gripe pandêmica, uma epidemia mundial causada por variações genéticas do vírus da gripe, é outra situação em que a dosagem de reforço pode valer a pena, já que nosso sistema imunológico não está preparado para montar uma resposta ao novo vírus. Mas as estratégias de vacinação são complexas e devem ser guiadas por agências governamentais de saúde. Tomar apenas duas doses da vacina atualmente disponível não será protetor.

Continue lendo

gripe2.jpg

Fonte: Jane E. Brody - The N. Y. Times

A imunidade tende a diminuir em 20% ao mês, deixando os que tiveram a vacina em agosto ou setembro com proteção menos que desejável no momento em que são expostos.

Se você esperou até agora para tomar a sua vacina contra a gripe, sua procrastinação pode realmente valer a pena, embora você não seja prudente em adiar a obtenção da vacina por mais tempo.

Embora haja alguns casos de gripe em outubro e novembro nos Estados Unidos, a temporada de gripe aqui normalmente não vai até dezembro, com um pico na maioria dos anos em fevereiro e geralmente terminando em abril.

Acabei de aprender com o Dr. Michael T. Osterholm, diretor do Centro de Pesquisa e Política de Doenças Infecciosas da Universidade de Minnesota, que a imunidade induzida pela vacina contra a gripe, que raramente é maior do que 60%, tende a em 20 por cento por mês, deixando aqueles que tiveram sua injeção em agosto ou setembro com menos do que a proteção desejável no momento em que são expostos a uma variante do vírus da gripe que seu corpo não reconhece.

Dr. Osterholm sugeriu que "desde que 95 por cento dos surtos de gripe começam em meados de dezembro, é melhor tomar a vacina contra a gripe no início de meados de novembro".

Continue lendo

© 2018 - Prometheus Centro de Imunização e Infusão
Horário de Funcionamento:
Seg. - Sex. das 8h00 às 18h00
Sábados das 8h00 às 14h00
Tel.: (11) 5081.4936 / 5082.3913
WhatsApp: (11) 94086.1112